Páginas

Pesquisar este blog

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Fiscal da agência de petróleo durante ação em posto

Rivaldo Gomes/Folhapress

Fiscal da agência de petróleo durante ação em posto

Lula critica denuncismo ao depor em ação contra Cabral

Folha de S.Paulo
O ex-presidente Lula afirmou ontem em depoimento à Justiça Federal que o país vive um momento de "denuncismo" e que está "cansado de mentiras".Foi a primeira declaração pública do petista desde que foi preso, há quase dois meses.Ele depôs como testemunha de defesa do ex-governador Sérgio Cabral (MDB) na ação penal que apura suposto pagamento de propina a membros do COI (Comitê Olímpico Internacional) para a escolha do Rio como sede da Olimpíada de 2016."Lamento que venha uma denúncia de corrupção de compra de delegado [do COI] oito anos depois. Não sei quem fez a denúncia, não quero saber. Não conheço. Como estamos vivendo num momento de denuncismo", disse o petista.

Cobrança sobre Alckmin em jantar expõe tensão tucana

Folha de S.Paulo
Pressionado a deslanchar a sua pré-campanha ao Planalto, o tucano Geraldo Alckmin perdeu a paciência.Cobrado por lideranças do PSDB sobre falta de coordenação nessa etapa da corrida, o ex-governador paulista jogou um guardanapo sobre a mesa e perguntou aos presentes se eles preferiam ter outro candidato –e, nesse caso, disse para que eles o escolhessem.A cena ocorreu, conforme a a reportagem apurou, durante jantar em um hotel nos Jardins (zona oeste de SP), na noite de segunda-feira.

Impasse com professor particular pode acabar

Fernanda Brigatti
do Agora
Os professores e os donos de escolas particulares de São Paulo decidem hoje, em assembleias realizadas no decorrer do dia, se aceitarão a proposta apresentada ontem pelo desembargador Fernando Álvaro Pinheiro, relator da audiência de conciliações entre os sindicatos no TRT 2 (Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região).No início da tarde, o Sinpro (sindicato dos professores) organizou um protesto em frente ao tribunal, na rua da Consolação (região central).Os educadores distribuíram panfletos dizendo que se o Sieeesp (sindicato dos estabelecimentos de ensino) não assinar o acordo, "os professores vão parar".A proposta da Justiça do Trabalho prevê a renovação das cláusulas sociais até o dia 28 de fevereiro de 2019.

Conta de energia deve subir 25,7% em um ano

Gilberto Yoshinaga
do Agora
Os consumidores devem pagar, em média, 25,7% a mais na conta de luz no final deste mês, na comparação com junho do ano passado.A estimativa é da TR Soluções e leva em consideração dois aspectos principais: a adoção da bandeira vermelha patamar 2 pelo governo federal e os reajustes anuais das concessionárias de energias nos diversos estados."Essa projeção vale para todos os tipos de consumidores: residenciais, comerciais e industriais", explica Helder Sousa, diretor comercial da empresa.Segundo ele, a bandeira tarifária deve pesar bem, pois acrescenta R$ 5 nas contas de luz a cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos.Em junho do ano passado, foi adotada a bandeira verde, quando não há cobrança de taxa extra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário